sábado, 11 de março de 2017

FLA0340 – Leituras em Etnologia II

Mitos como formas de expressão e formas de ação

Este curso se propõe abordar aspectos das dinâmicas de criação, circulação e transformação de narrativas orais ameríndias – com foco na etnografia das terras baixas da América do Sul. Considerando a amplitude das problemáticas envolvidas, partiremos de algumas questões clássicas, entre elas as relações entre mito e história, oralidade e escrita, para diferenciar regimes de historicidade e introduzir a discussão de critérios de verdade e formas de validação do conhecimento. Na segunda parte do curso, nos debruçaremos sobre etnografias que evidenciam, de muitas diferentes maneiras, as complexas relações entre saberes e enunciação mítica e outras formas de expressão e ação ameríndias: devires humanos e não humanos, fabricação de corpos e artefatos, ações terapêuticas, cantos, festas, sistemas iconográficos, entre outros. A partir dessa imersão e da compreensão das dinâmicas complexas de transformação das tradições orais, voltaremos à discussão inicial, das formas de legitimação do conhecimento em diferentes regimes de saberes.

1o semestre 2017. Curso de Ciências Sociais - FFLCH/USP.

sexta-feira, 18 de março de 2016

FLS 5285 Redes de saberes e relações ameríndias

Sessões às 3a feiras, 14h. Sal(inha) 106A

Bloco 1. Pontos de vista em torno da 'indigenização" da academia (2 sessões)
Bloco 2. Corpo, pessoa e modos de circulação de saberes (3 sessões)
Bloco 3. Enunciação, narração, dialogo, 'biografias' (3 sessões)
Bloco 4. Colaborações, pactos etnográficos,produções acadêmicas indígenas (3 sessões)

A maior parte dos textos já está na pasta e nas subpastas deste blog: RS 2016. 
Peço a todos que se inscrevam nos seminários e e debates.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

FLA 0335 Antropologia e Desenvolvimento - 2016

Início 25/02/2015. 5a feira/vespertino. Sala 110

Bloco 1: Discursos do desenvolvimento
Bloco 2: Colonização, descolonização e a interculturalidade em questão
Bloco 3: Indigenização das mercadorias
Bloco 4: Criação, circulação e gestão do conhecimento
Bloco 5: Pactos etnográficos, colaborações, redes sociotécnicas
Bloco 6: Políticas culturais e povos indígenas




terça-feira, 4 de agosto de 2015

Leitura de monografias antropológicas: Introdução à Etnologia Tupi-Guarani

FLA 0303 – 2º semestre 2015


O propósito desse curso é, primeiramente, discutir algumas problemáticas recorrentes no estudo dos povos de língua tupi-guarani, evidenciando a transformação das concepções analíticas, a medida que se ampliam o conhecimento antropológico não apenas desses povos, mas da complexidade dos mundos ameríndios. Por outro lado, a produção recente sobre os Kaiowá e Guarani no sudeste e sul do Brasil (e países vizinhos) e sobre os Tupi da Amazônia possibilita comparações para além dos nichos etnográficos, gerando novos eixos para a pesquisa, que serão debatidos no curso. A proposta é de promover uma leitura aprofundada de alguns estudos clássicos, bem como de trabalhos mais recentes, que permitem debater questões teóricas e metodológicas cruciais para a história e a etnologia ameríndia. 


quarta-feira, 18 de março de 2015

Metodologia de Projeto II - FLS52582 / 2015


O curso visa oferecer um espaço de reflexão ampliado sobre a pesquisa antropológica, seus desafios e derivas, a partir dos projetos e experiências de investigação dos alunos, de modo a auxiliá-los, pela discussão integrada e comparada, em seus respectivos trabalhos. O objetivo central é realizar uma reflexão detida sobre procedimentos, recortes e escolhas analíticas, com o auxílio da troca de experiências entre pesquisadores provenientes de  vários campos da Antropologia.

A ideia do curso nasceu de uma avaliação coletiva sobre a importância de espaço de discussão integrada e sistemática dos projetos de pesquisa dos alunos, distinto das orientações individuais e das discussões realizadas no interior dos grupos de pesquisa, que normalmente reúnem pesquisadores de uma mesma área.

A discussão coletiva se beneficiará da intervenção de um debatedor, previamente escolhido, e dos comentários dos demais alunos e da professora. Indicações bibliográficas serão feitas ao longo do curso, em função das questões colocadas pelos projetos e de dois nortes centrais que orientam a disciplina: 1. a variedade de formas e feitios da pesquisa antropológica e 2. a inseparabilidade entre teoria e método.

sábado, 17 de agosto de 2013


Redes de Saberes e Relações Ameríndias
Pós-Graduação em Antropologia Social - PPGAS/USP. 2013

Caros alunos, iniciamos o curso no dia 15 de agosto e nossa próxima sessão será na quinta de manhã, dia 22 de agosto. O programa e os textos dos dois primeiros blocos estão disponíveis na pasta Redes de Saberes 2013, neste blog.





sábado, 8 de dezembro de 2012

TÓPICOS ESPECIAIS I (Sociedade e Natureza)



Tópicos Especiais I - Programa de Pós Graduação em Biodiversidade Tropical PPGBIO - UNIFAP

10 a 14 de dezembro de 2012


Tópicos de antropologia, voltados ao estudo da relação entre diversidade cultural e diversidade biológica:
debates sobre ciências e a relação entre sociedade e natureza;
como definir e abordar o conhecimento tradicional?
Como etnografar sistemas de conhecimento e outros modos de saber
Versões e controvérsias: : aplicações ou apropriações do conhecimento tradicional? 


terça-feira, 15 de março de 2011

Tradição oral e sociedades indígenas

Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social - Etnologia Indígena
As aulas iniciarão na quinta feira 24/03, às 14h
O programa está disponível no site do Departamento de Antropologia.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Introdução à Etnologia Ameríndia

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DA AMAZÔNIA
Universidade do Estado do Amapá - UEAP

Período: 7 a 14 de dezembro de 2010

Curso de introdução à etnologia ameríndia, iniciando com uma rápida apreciação das questões teóricas envolvidas na chamada “questão indígena” - políticas indigenistas, processos de afirmação étnica, etc - para em seguida tratar de aspectos do desenvolvimento recente da reflexão teórica no campo da Etnologia Ameríndia, com foco nas sócio-cosmologias indígenas na Amazônia (e atenção particular na região das Guianas).

Tópicos das aulas (programa provisório):

  • aproximações à chamada "questão indígena", hoje, no Brasil: políticas indigenistas
  • estruturas sócio-cosmológicas indígenas regionais, uma rápida comparação
  • vias de acesso às cosmologias indígenas: guerra, mito, xamanismo, etc
  • mito, um tempo originário ou um outro espaço, num mundo adensado
  • práticas xamânicas
  • cultura e "cultura", políticas indígenas

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Curso: Sociedade e Natureza

Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical / PPGBIO. UNIFAP
Tópicos Especiais. Linha de pesquisa: Conhecimentos tradicionais e biodiversidade

Tópicos de antropologia, voltados ao estudo da relação entre diversidade cultural e diversidade biológica, bem como as relações entre populações tradicionais e políticas de conservação da biodiversidade.
a) debates sobre ciências e a relação entre sociedade e natureza
b) ciências ou etnociências?
c) como abordar o conhecimento tradicional?
d) aplicação ou apropriação do conhecimento tradicional?

24 a 28 de agosto de 2009

terça-feira, 24 de março de 2009

Curso: Tradição oral e sociedades indígenas

Este é um curso que organizei para uma primeira experiência em 1999, para alunos de graduação em ciências sociais. Foi reeditado como curso de pós-graduação em 2003 e 2006. O programa e as referências selecionadas para esta nova edição foram em parte modificadas, mas o objetivo básico continua sendo o de discutirmos abordagens da oralidade, das formas de expressão, de transmissão e transformação que lhes são específicas. O contexto da discussão e enfoque temático são os da etnologia indígena.
O cronograma de leituras encontra-se na pasta TRADO 2009. Breves comentários introdutórios de algumas sessões do curso serão disponibilizadas no decorrer do semestre, bem como referencias complementares.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Curso: Redes de saberes e relações ameríndias


Redes de saberes e relações ameríndias

Objetivo: O propósito desse curso é tematizar os modos diversos, mas complementares, de produção, expressão e transformação dos saberes e práticas ditas "tradicionais". Também está voltado à reflexão acerca de concepções de conhecimento e aprendizagem, que explicitam os processos de transformação de saberes no âmbito de redes traçadas em diversos contextos de transmissão.

Justificativa: A revisão da noção estática e totalizante de cultura empreendida pela Antropologia contemporânea é o pano de fundo para a discussão proposta no curso, verificando a contribuição de estudos recentes relacionados à constituição de identidades em contextos relacionais. O curso está voltado, principalmente, aos pós-graduandos da área de Etnologia Indígena, considerando o número significativo de pesquisas em andamento sobre temáticas relacionadas aos contextos de produção e transformação de "conhecimentos tradicionais".

Conteúdos: Discutir abordagens e métodos dos autores selecionados na bibliografia, bem como sua contribuição para a análise de políticas da "tradição", de concepções de autoria e propriedade, de regimes de produção de conhecimento, de formas de transmissão e de espaços de tradução.

Métodos utilizados: Aulas expositivas e seminários apresentados pelos alunos.

Atividades discentes: Resenhas de leitura e seminários apresentados pelos alunos.

Critérios de avaliação da aprendizagem: Apresentação de seminário; trabalho final sobre tema pertinente ao curso.



Programa de Leituras
(sujeito à alterações durante o andamento do curso)
acesse os arquivos aqui
Sessão inicial no dia 27/08/07: apresentação do curso

1. – Gestão do conhecimento (setembro)

1.1. Sessão do dia 10/09/07: "cultura"
Carneiro da Cunha, Manuela (org). 2005. Introdução. Patrimônio cultural e biodiversidade. Revista do IPHAN, n.32.
Carneiro da Cunha, Manuela. 2004. "Culture" and culture: traditional knowledge and intellectual rights. Marc Bloch conference (EHESS).
Harrison, Simon.1995. Anthropological perspectives on the management of knowledge. Anthropology Today, vol.11/5 (10-14)

1.2. Sessão do dia 17/09/07: "dono"
Coelho, Marcela S. 2005. A propriedade da cultura: transformações kisêdjê (suyá). Projeto de pesquisa de pós-doutorado. Núcleo Transformações Indígenas (NuTI)
Seeger, Anthony. 2004a. Chanter l´identité: musique et organisation sociale chez les indiens Suyá du Mato Grosso. L´Homme, vol.171-172 (135-150)
Gallois, Dominique T. 1988. Os habitantes do cosmos (O movimento na cosmologia wajãpi, cap.2)
1.3. Sessão do dia 24/09/07: "conhecimento"
Santos-Granero, Fernando e George Mentore. 2006. Apresentação (Antropologia e Conhecimento). Revista de Antropologia, vol.49/1
Mentore, George. 2006. O triunfo e a dor da beleza. RA, vol.49/1.
Gow, Peter. 2006. Canções "Purus". Nacionalização e tribalização no sudeste da Amazônia. RA, vol. 49/1
Complementar:
Mentore, George. 1993. Tempering the social self: body adornment, vital substance, and knowledge among the Waiwai. Journal of Archaeology and Anthropology, 9, 22–34.
1.4. Sessão do dia 01/10/07: "autoria"
Queixalos, Francesc. s/d. Le sikuani et la categorie de source de l´information.
Carlin, Eithne. (completar)

Complementar:
Graham, Laura. 1995. Performing Dreams. Discourses of Immortality among the Xavante of Central Brazil. Austin: University of Texas Press. 290 pp. – cap 5

2. Trocas e transações (outubro)
2.1. Sessão do dia 08/10/07: "eficácia simbólica"
2.2. Sessão do dia 15/10/07: "troca"
2.3. Sessão do dia 22/10/07: "caminhos"
2.4. Sessão do dia 29/10/07: "agência"
3. Criação e transformação de conhecimento (novembro)
3.1. Sessão do dia 05/11/07: "criação"
3.2. Sessão do dia 12/11/07: "transformação"
3.3. Sessão do dia 19/11/07: “tradução" (parte 1)
3.4. Sessão do dia 26/09/07: "tradução" (parte 2)
4. Sessão final do dia 03/12/07