terça-feira, 4 de agosto de 2015

Leitura de monografias antropológicas: Introdução à Etnologia Tupi-Guarani

FLA 0303 – 2º semestre 2015


O propósito desse curso é, primeiramente, discutir algumas problemáticas recorrentes no estudo dos povos de língua tupi-guarani, evidenciando a transformação das concepções analíticas, a medida que se ampliam o conhecimento antropológico não apenas desses povos, mas da complexidade dos mundos ameríndios. Por outro lado, a produção recente sobre os Kaiowá e Guarani no sudeste e sul do Brasil (e países vizinhos) e sobre os Tupi da Amazônia possibilita comparações para além dos nichos etnográficos, gerando novos eixos para a pesquisa, que serão debatidos no curso. A proposta é de promover uma leitura aprofundada de alguns estudos clássicos, bem como de trabalhos mais recentes, que permitem debater questões teóricas e metodológicas cruciais para a história e a etnologia ameríndia. 


quarta-feira, 18 de março de 2015

Metodologia de Projeto II - FLS52582 / 2015


O curso visa oferecer um espaço de reflexão ampliado sobre a pesquisa antropológica, seus desafios e derivas, a partir dos projetos e experiências de investigação dos alunos, de modo a auxiliá-los, pela discussão integrada e comparada, em seus respectivos trabalhos. O objetivo central é realizar uma reflexão detida sobre procedimentos, recortes e escolhas analíticas, com o auxílio da troca de experiências entre pesquisadores provenientes de  vários campos da Antropologia.

A ideia do curso nasceu de uma avaliação coletiva sobre a importância de espaço de discussão integrada e sistemática dos projetos de pesquisa dos alunos, distinto das orientações individuais e das discussões realizadas no interior dos grupos de pesquisa, que normalmente reúnem pesquisadores de uma mesma área.

A discussão coletiva se beneficiará da intervenção de um debatedor, previamente escolhido, e dos comentários dos demais alunos e da professora. Indicações bibliográficas serão feitas ao longo do curso, em função das questões colocadas pelos projetos e de dois nortes centrais que orientam a disciplina: 1. a variedade de formas e feitios da pesquisa antropológica e 2. a inseparabilidade entre teoria e método.